Eu e Vincença

Quando sortêro vivia
Era o maior aperrêio
Que além d’eu ser muito feio,
As muié não me queria.

Prá todas banda que eu ia com o camarada meu,
Ele confiava n’eu,
Ia beber e jogar, fazer bagunça e brigar
E quem ia preso era eu.

Pru mode arranjar namoro
Era danado de mole
Cantava tocava fole
E tinha uns cabelo loiro,
A boca cheia de ouro,
Clara que só o dia.
Em todas festas que havia,
Cheirava que nem uma rosa
Mas quando falava em prosa,
As muié num me queria.

Eu disse: foi catimbó que arguém botô num sai.
Mamãe casô com papai,
Vovô casô com vovó
Inté meu irmão Chico,
Muito mais feio que eu,
Namorô, casô, viveu… com duas muié inté
Só eu não arrumo uma que queira se esfregar n’eu?

Mas Deus do céu se descuidou-se
Satanás se esqueceu
E Vicença me apareceu com seus oião de bico-doce
E nosso amor misturou-se cuma feijão com arroz,
E se atraquemo nós dois num amor tão violento,
Que tratemo o casamento pra quatro dia dispois.

No dia de se casar, quase que se indoideço por ela,
Dei de garra na mão dela e fumo pra igreja casar
Quando cheguemo no altar,
O padre falou umas coisa,
Jurei em nome da crença ser fiel a esposa
O padre botou a benção e eu fui drumi com Vicença.

Numa casinha bem singela fui logo me agasalhando
Pois já estava era pensando em drumi com uma costela.
Mas vicença fez uma novela la dentro da camarinha
Quebrou todos caquinhos que tinha,
Ameaçou-me na bala
Que tive de drumi na sala
E ela lá na cozinha.

Quase morro de desgosto pro que Vicença fez isso,
De manhã fui pro seuviço
E voltei com o sol quase posto.
Mas inda tive um gosto:
Vicença me arrecebeu inté café freveu
E boto pra nóis tomar.
Mas quando foi se deitar,
Nem se quer olhou pra eu…
Da vida perdi a crença,
De nomes chamei bem uns trinta
Botei a faca na cinta e fui falar com Vicença.

Ela deu a doença quando falei de amor.
Foi logo me dizendo:
-O senhor pensa o que? Eu só casei com ocê foi pra fazer favor…
Larguei Vicença no chão,
Abrir ligeiro a casaca,
Puxei a lapa da faca
Torei da calça o cordão.

Vicença tinha razão pelo que se assucedeu
Não era pru nojo e nem pru não ser sincera
Quere saber pro que era?
Vicença era macho que nem eu.

Mandei chamar o véião
Que se dizia pai dela
“Leve sua falsa donzela
Vá fazer bença do cão
Ela num é muié não
Envergonhado eu me acho”
E pra evitar que outro macho
Queira comigo casar
Só caso quando espiar
Desse nó até lá embaixo

noiva travesti eu e vicença

Sobre Rui

Eu sou uma pessoa a ser estudada... e minhas contas google também. Mas Bukowski me entenderia, me apoiaria e diria que estou certo.
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s